"A Esperança não é um Sonho, mas uma maneira de traduzir os sonhos em realidade" - Martin Luther King
Quarta-feira, 26 de Março de 2008

La vie en Rose

Não tenho dado notícias porque estive de férias uns diazitos...em Paris. O que é bom acaba depressa!

Fomos de carro até lá com um casal amigo e ficámos 4 noites na cidade luz. As outras 2 noites (uma na ida e outra no regresso) foram pernoitadas em casa de familiares desse casal, algures na zona de Niort .

Como é obvio adorei regressar a Paris, desta vez ainda mais porque viajei com o marido e com este casal nosso amigo de longa data.

Alugámos um apartamento na zona de Montmartre, pertinho do Sacre Coeur.

 

Passámos os dias a deambular pela cidade chuvosa, fria e apinhada descobrindo os muitos encantos dela. Foram dias repletos de alegria, boa disposição e de algumas peripécias... nem a chuva, o frio de rachar e as enormes filas nos fizeram desanimar.

 

A riqueza, os pormenores e a grandiosidade estão bem patentes em todos os edifícios e recantos da cidade. Notre Dame, Sacre Coeur, Torre Eiffel, Louvre, Arco do Triunfo, Invalides, Opera Garnier ... foram visita obrigatória, mas há locais tão simples e pitorescos pelo seu ambiente descontraído, animado e artístico e que retratam tão bem a essência de Paris, tais como: Place du Tertre (conhecida pela praça dos artistas),  praça do centro George Pompidou, Bairro Latino, jardins des Tuleries, jardins du Luxembourg ...

 

Adorei ver a Torre Eiffel à noite, é sem sombra de dúvida um monumento pra apreciar à noite e em particular quando ela começa a piscar freneticamente durante os primeiros 10 minutos de cada hora tal como uma árvore de natal, iluminando os olhares fascinados dos turistas que se deliciam perante tal espectáculo.

 

Detestei o palácio de Versailles! Grandiosidade, imponência e beleza ele tem, mas considerei a visita um embuste!!! É ultrajante que um espaço daquela magnitude esteja em grande parte fechado ao público. Não sei se era só nesse dia, o facto é que várias galerias estavam encerradas. Numa hora já tínhamos visto todas as salas permitidas. Tivemos acesso aos aposentos do rei, da rainha e à sala dos espelhos, que pra meu grande espanto e irritação o trono e toda a área envolvente era de papelão (muito bem trabalhado, já que ao longe dava a sensação enganosa de ser real).

As salas, embora extremamente espaçosas com bons quadros e pinturas encontravam-se pouco decoradas e mobiladas. Francamente, o Palácio dos Duques em Vila Viçosa ou o Palácio da Pena em Sintra estão perfeitamente à altura do que nos foi mostrado em Versailles . Acredito que muitas peças do palácio estejam espalhadas em museus ou exposições, mas de qualquer maneira nunca esperei que, perante um edifício  tão big, só tivéssemos acesso àquilo.

Ao visualizar os jardins e lagos do palácio, que são extraordinariamente extensos e de uma simetria perfeita a primeira frase célebre que me veio à cabeça foi "isto é mesmo à grande e à francesa".

 

Não aproveitámos a "night" parisiense. Limitámo-nos a passear um pouco depois de jantar e recolher aos aposentos para recarregarmos energias pro dia seguinte. Mas, ainda demos um saltinho a Pigalle...

 

Perante todas as evidências Paris é uma cidade fantástica, mas um pouco cara, principalmente no que diz respeito à restauração. À noite, passávamos algum tempo a percorrer as ruas (da zona previamente escolhida) à procura de um restaurante que satisfizesse as nossas exigências: barato, com boa ementa e bom ambiente. A zona mais fixe em que jantámos foi no Bairro latino onde havia uma variedade incrível de restaurantes e rios de gente. O que mais gostei de comer foi a famosa e típica Raclette . Todos na mesa se repugnavam com o cheiro do queijo enquanto eu o devorava deliciada e com um apetite voraz.

 

Nós utilizámos o metro ou RER como meio de transporte, mas há outra forma bem mais porreira pra circular pela cidade: de bicicleta!! O serviço tem o nome de "Vélib" no qual se pode "levantar" a bicicleta num estacionamento e entregá-la noutro e assim sucessivamente. Por toda a cidade estão espalhados estacionamentos informatizados que permitem uma total independência para o utilizador.

 

Enfim... foram umas férias memoráveis. A única coisa que me irritou mesmo profundamente para além de Versailles foi as borbulhas que me rebentaram na cara depois de ter comido os deliciosos crepes quentinhos com chocolate nutella que se compravam em qualquer "barraquinha". Malditos!!! Mas não consegui resistir, tal como o meu amigo não resistiu aos flans.

 

Algumas das milhentas fotos:

 

Opera Garnier

 

Panteão

 

 

Ponte Alexandre III + Grand Palais

 

O monstruoso e lindíssimo Hotel de Ville

 

La Conciergerie

 

Uma lateral da Notre-Dame

 

Uma das estátuas do jardin du Luxembourg

 

Praça do George Pompidou (acho que não é assim que se chama, mas não sei o nome)

 

Alguns trabalhos de um dos muitos artistas abancados na praça

 

Place du Tertre com uma pequenina visão do Sacre Coeur

 

Palácio de Versailles

 

Sala dos Espelhos - Palácio de Versailles (trono em papel)

 

Uma pequena amostra dos extensos jardins do palácio de Versailles

 

 

Torre Eiffel

 

Torre Eiffel

 

 

Moulin Rouge + sex shop em Pigalle

 

Um mercado com muita variedade de queijos

 

A minha Raclette que estava já a meio

 

 

sinto-me:
música: Lavie en Rose, Edit Piaf
publicado por Princesa às 22:44

link do post | pode comentar | ver comentários (15) | favorito

.Sondagem

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.minha história

.histórias recentes

. La vie en Rose

.Horas? São...

.histórias passadas

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.Visitas

Free Hit Counter
Free Counter

.pesquisar histórias

 

.tags

. todas as tags

.Os meus companheiros


adopt your own virtual pet!

adopt your own virtual pet!

.links