"A Esperança não é um Sonho, mas uma maneira de traduzir os sonhos em realidade" - Martin Luther King
Sexta-feira, 30 de Novembro de 2007

Revolta e Tristeza

Cá tou eu novamente... tou a gostar disto.

 

Agora que acabei o fantástico livro "Exremamente Alto, Incrivelmente Perto" do Jonathan Safran Foer (que recomendo) e que ainda não encontrei outro, na minha estante à altura deste, vou dedicar-me um pouco mais ao blog.

 

Vou tentar acabar a história que iniciei ontem.

 

O Resultado da amniocentese chegou finalmente. Lá vamos nós extremamente nervosos. Médico: O resultado é pior do que suspeitávamos, o bébé não tem trissomia 21 mas sim a 13. Patologia muito mais grave e fatal que a 21. Se resolver continuar com a gravidez, aviso-a já que o bebé vai sobreviver dias, 1 mês no máximo e vai ter problemas extremanente complexos e graves.

NÃO PODE SER, isto não nos tá a acontecer!!!!!!!!! É o nosso 1º filho, não nos façam isto, é um sonho a ser destruído, um pesadelo!!!

Depois de muito choro, indignação e revolta lá optamos pelo aborto às 17 semanas e tal.

Ao ser internada faço uma ecografia, coração já não se ouve, morreu, foi-se... não resistiu.

Começam a induzir o "parto", 1º dia: nada!, 2º dia (dose mais forte): nada, mas muita perda de sangue, 3º dia (mudança de medicamentos): começam algumas contracções, nada de especial, já não me consigo levantar de estar tão fraca, têm de me pôr fralda (que humilhação), chichi pra arrastadeira e com ajuda. Dilatação: nada!! 22h e quase desmaio, as parteiras socorrem e, talvez por acharem que passa a mais lá resolvem apressar o processo. Uma delas põe a mão, a outra pressiona a barriga e a 3ª segura-me a mão pra me impedir de bater na 2ª.

FOGO, doi.... não sei se grito, se choro ou se simplesmente blasfemo. Ai Ai Ai, não me voltam cá a apanhar, isso é de certeza!!! Mas depois de passar, esqueci-me num instante das dores.

4º dia ainda não posso ir pra casa, tenho de levar uma transfusão, minha hemoglobina está baixa.

5º dia lá vou eu pra casa, com um vazio e uma tristeza dentro de mim. Nunca chorei no hospital à excepção de quando me disseram que era uma menina. Nunca demonstrei os meus sentimentos, a minha fragilidade mas quando entrei em casa desmoronei e chorei chorei chorei.

Agora tou melhor, sensivel ainda... todos os dias me lembro do que aconteceu.

Fizemos o cariotipo (análise genética) e felizmente não temos nenhuma anomalia. Deve ter sido um caso pontual, diz o médico. A ver vamos.

 

 

publicado por Princesa às 17:11

link do post | pode comentar | ver comentários (2) | favorito

.Sondagem

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.minha história

.histórias recentes

. Revolta e Tristeza

.Horas? São...

.histórias passadas

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.Visitas

Free Hit Counter
Free Counter

.pesquisar histórias

 

.tags

. todas as tags

.Os meus companheiros


adopt your own virtual pet!

adopt your own virtual pet!

.links